Sim Não

Além desse projeto, gostaria de conhecer mais projetos de quais leis?

Acessibilidade Câncer Cultura Criança Esporte Idoso

Ao clicar em enviar, autorizo a LS Nogueira a entrar em contato comigo através dos meios de contatos fornecidos.

Dominguinhos
Lei de Incentivo: PROAC
Local:São Paulo

20
ANOS ALINHANDO POPULARIDADE E SOFISTICAÇÃO

55
ANOS DE CARREIRA

40
DISCOS GRAVADOS

55
% CAPTADO
O MUSICAL DOMINGUINHOS

Estreia em outubro de 2022, no Teatro FAAP, uma homenagem a um dos maiores músicos brasileiros de todos os tempos: Dominguinhos. No ano em que o artista faria 80 anos, a Fontes Artes, reconhecida, há 20 anos, por alinhar popularidade e sofisticação, produzirá um musical com alguns dos artistas mais premiados e reconhecidos do Brasil. A direção musical de Myriam Taubkin, direção cênica de Gabriel Fontes Paiva e texto de Silvia Gomez. Os músicos convidados são referência em seus instrumentos: Cosme Vieira – sanfona; Salomão Soares – piano; Zé Pitoco – zabumba, clarinete e sax alto; João Taubkin – contrabaixo; Guegué Medeiros – percussão. Além da participação afetiva da filha de Dominguinhos, a cantora Liv Moraes.

Dominguinhos conseguiu unir o regional de um Brasil profundo com o que havia de mais moderno na música. Um artista que cantou a experiência humana em sua essência mais luminosa, sempre com leveza, humor, alegria e poesia. Nascido em Garanhuns (PE), em 1941, José Domingos de Moraes iniciou a carreira ainda na infância. Aos oito anos, se apresentou para o Rei do Baião pela primeira vez, em um hotel de sua cidade natal, sem saber que tocava para Gonzagão.
Em mais de 55 anos de carreira, Dominguinhos gravou 40 discos. No último, Iluminado Dominguinhos, lançado em DVD em 2010, gravou grande parte de seu repertório instrumental com a participação de Gilberto Gil, Elba Ramalho, Wagner Tiso e Yamandu Costa, entre outros. Suas músicas mais conhecidas são “Eu Só Quero um Xodó” e “Tenho Sede” (parcerias com Anastácia), cujos registros mais famosos foram feitos por Gil na década de 1970, “Isso Aqui Tá Bom Demais” e “De Volta pro Aconchego” (com Nando Cordel), clássico na voz de Elba Ramalho, nos anos 1980, “Abri a Porta” e “Lamento Sertanejo” (com Gil). “De Volta pro Aconchego” e “Isso Aqui Tá Bom Demais” fizeram parte da trilha da novela “Roque Santeiro”, aumentando a popularidade de Dominguinhos nos anos 1980. Na mesma década, Chico Buarque gravou “Tantas Palavras”. Vencedor de Grammy LaQno (2002) e (2012); Prêmio Tim de Música Brasileira (2007) e (2008) e Prêmio Shell de Música (2010).